sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Fim do Canil dos Bombeiros de BH após morte de cães - vídeo

A canil do Corpo de Bombeiros de Belo Horizonte foi desativado. A decisão foi tomada após a morte de quatro cães em decorrência da leishmaniose.

Os cães que eram treinados no quartel aturaram em casos de repercussão como a morte da ex-amante do goleiro Bruno Fernandes, Eliza Samudio, e o assassinato de dois empresários pelo grupo ficou conhecido como Bando da Degola.
O canil funcionava no 2º Pelotão do Corpo de Bombeiros desde 2004 e chegou a ter dez cães, mas recentemente tinha apenas sete. Alguns animais nem eram registrados pela corporação. Os três que sobraram acabaram sendo doados.
Antes mesmo de encerrar as atividades o canil funcionava de forma precária. A denúncia é do tenente reformado Érico Rodrigues de Souza, que durante cinco anos comandou o pelotão. Ele conta que os militares tiravam dinheiro do próprio bolso para cuidar dos cães.
— Até remédio a gente tinha que comprar do nosso bolso. Tinha um convênio, mas não cobria totalmente.
Ao lado do pelotão do Corpo de Bombeiros, na região leste da capital mineira, funciona o canil da Polícia Militar. Os animais da PM continuam em atividade, mas segundo o tenente eles não substituem os cães dispensados, já que são treinados para outras finalidades.
— Os cães eram treinados para encontrar pessoas desaparecidas, soterradas em escombros, além de fazer demonstrações em escolas e um trabalho na Apae com crianças portadores de necessidades especiais.
O assessor do Corpo de Bombeiros, Frederico Pascoal, afirma que o canil foi criado como um projeto piloto e que o fechamento foi devido à doença que atingiu os cães. Ainda não há previsão de quando outros animais serão adquiridos.
— Apresentou resultados muito expressivos. Nós encontramos pessoas perdidas em matas, corpos que não tinham sido encontrados. Daí a importância da gente reativar esse projeto, mas em uma área segura.

fonte: R7

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Bombeiro voa em tapete metálico na Croácia - VÍDEO

 
Um bombeiro croata acabou fazendo um voo inesperado em um "tapete mágico". Fortes ventos atingiam a cidade croata de Rijeka e um homem tentava se segurar em um pedaço de telhado de alumínio que se desprendera de uma construção.

Mas como você pode ver no vídeo abaixo, o bombeiro foi surpreendido por uma rajada de vento por baixo da folha de metal. Como resultado, ele ficou flutuando no ar, sentado na folha metálica. A imagem faz lembrar os tapetes mágicos dos desenhos animados.

A folha flutua no ar numa altura de 50 centímetros até ser despedaçada pelo vento. Um bombeiro sai em socorro do colega ao vê-lo no chão após o voo. Nenhum dos dois se feriu no incidente. Você gostaria de voar num tapete mágico?


Oficiais Bombeiros do RJ terão nova Academia em 2014

Petrópolis, RJ, sediará academia que forma bombeiros no estado do Rio

     Nova sede receberá melhorias e começará a operar em dezembro de 2014.
     Cerimônia realizada neste domingo (10) oficializou a transferência.

     Com uma homenagem a D. Pedro II, patrono da corporação, Petrópolis, Região Serrana do Rio, foi eleita a cidade-sede da Academia de Formação de Bombeiro Militar Dom Pedro II (ABMDP II). Neste domingo (10), aconteceu a cerimônia com o assentamento da pedra fundamental da unidade no antigo prédio dos Correios, na Fazenda Inglesa, às margens da BR-040. O espaço vai ser revitalizado e adaptado para o curso que forma 50 aspirantes a oficiais todos os anos.

     A solenidade teve início ainda no alvorecer quando, às 6h, cadetes saudaram D. Pedro II, prestando continência no pátio do Museu Imperial. De lá, eles seguiram a pé até a nova sede da Academia, percurso de quase 10 quilômetros. "É uma forma de mostrar o que este resgate histórico significa para todos nós que, agora, estaremos próximos de nosso patrono, D. Pedro II, em sua terra tão querida", afirmou o comandante da Academia, coronel Silvio Lopes Novais.
 
 
     O espaço de 20 mil metros quadrados será transformado em um complexo para as aulas teóricas e preparação física para combates a incêndios e resgates. A ABMDP II é um estabelecimento de ensino superior do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro e os internos são selecionados em vestibular da Universidade do estado do Rio de Janeiro (UERJ).
 
Fonte: G1

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Situações Extremas - Treinamento para Bombeiros Catarinenses

 O Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC) encerrou nesta terça-feira (05/11) em São José, na Grande Florianópolis, o simulado de operações em áreas deslizadas de sua Força-Tarefa - grupo especializado e equipado para intervenções em eventos adversos extremos.
 
Mais de 100 Bombeiros Militares de diferentes regiões do Estado estiveram mobilizados nos três dias de treinamento, em que foram avaliadas a capacidade operacional e técnica das equipes especializadas em operações de busca, resgate e salvamento em deslizamentos. O exercício faz parte do calendário de certificações da Força-Tarefa da Corporação, criada em 2011 para aprimorar a capacidade de resposta da instituição às ocorrências de maior proporção.

 
“Estamos evoluindo a cada exercício, desde a agilidade de acionamento e deslocamento das equipes até as técnicas operacionais utilizadas em cada tipo de ocorrência que podemos enfrentar”, analisa o Comandante da Força-Tarefa e Subcomandante-Geral da Corporação, Coronel BM Gladimir Murer, sobre o primeiro dos cinco exercícos do grupo realizado no período noturno e na área de deslizamentos.

 
A Força-Tarefa é composta por grupos de Bombeiros Militares distribuídos nos Batalhões pelo Estado especialmente treinados e que possuem recursos próprios para atuação em eventos adversos de maior proporção como enchentes, incêndios florestais e deslizamentos. Os exercícios de certificação anteriores avaliaram o desempenho do grupo nestes tipos de cenário.
 
 “Outros Estados têm uma estrutura parecida com a de Santa Catarina para a resposta a desastres, mas nós estamos um passo a frente, fazendo com que o grupo efetivamente esteja operacionalizado”, disse o Comandante-Geral do CBMSC, Coronel BM Marcos de Oliveira, referindo-se aos constantes e diferentes exercícios de certificação nos quais as capacidade operativa dos grupos da Força-Tarefa é colocada sob avaliação.

 
 
Desempenho avaliado
 
 
O exercício de certificação em São José reuniu no município as equipes de Força-Tarefa dos Batalhões de Bombeiros Militar (BBM) sediados nas cidades de Florianópolis (1ºBBM), Tubarão (8ºBBM), Criciúma (4ºBBM), Itajaí (7ºBBM), Balneário Camboriú (13ºBBM) – além do grupo da sede do treinamento (10ºBBM). Comandantes dos BBM acompanharam a movimentação e, adotando critérios técnicos preestabelecidos, foram responsáveis por avaliar o desempenho dos Bombeiros Militares envolvidos na atividade.
 
“Conseguimos ter uma noção precisa da importância e necessidade de continuarmos investindo em capacitação técnica e adquirindo novos equipamentos”, apontou o Tenente-Coronel BM César de Assumpção Nunes, Comandante do 10ºBBM e um dos coordenadores da Força-Tarefa do CBMSC – que no exercício executou a função de avaliador. Para ele, o esforço institucional e de Governo para a compra de novos equipamentos para o grupo já resulta em um incremento na eficiência da Corporação no atendimento da população: “O emprego das novas tecnologias disponíveis – guindastes, máquinas de corte, maquinário específico e outros – nos dá agilidade e segurança nas operações, contribuindo para que possamos salvar mais vidas caso algo parecido venha realmente a acontecer”.
 
 
Experiência para fazer diferença

 
 
Como numa situação real, durante os exercícios de certificação são adotados todos os prodimentos operacionais requeridos para eventos de grandes proporções. Um dos destaques deste tipo de operação é o emprego do Sistema de Comando em Operações (SCO) – esquema internacional de gerenciamento logístico e operacional especial para situações extremas que envolvem diferentes órgãos.
 
A edição do treinamento em São José foi a oportunidade para que o Major BM Alexandre Coelho da Silva, Subcomandante do 10ºBBM, experimentasse a função de Comandante do SCO. Apesar de ter acompanhado os exercícios anteriores de certificação como expectador e participado ativamente de grandes operações na história da Corporação, entre elas o incêndio no Mercado Público da Capital e as enchentes dos anos 2000, Major Coelho relatou satisfação em participar de mais esta experiência. “Ficamos felizes em confirmar que a instituição Bombeiro Militar adota um padrão organizado e eficaz de atuação”, disse.
 
 
Novas certificações
 
Os exercícios de certificação da Força-Tarefa do CBMSC ocorrem uma vez por semestre. Desde sua criação já foram executadas certificações envolvendo avaliações do grupo nas áreas de mobilização (Blumenau), incêndio florestal (Lages), águas correntes (Tubarão), enchentes (Rio do Sul) – além da atividade na área de deslizamentos, agora, em São José.
 
Conforme o Comandante da FT, Coronel BM Murer, a coordenadoria do grupo planeja a realização de avaliações diferenciadas em 2014, envolvendo certificações em atividades inéditas para a Força-Tarefa até então.
 
 
 
Curta a página do CBMSC no Facebook: https://www.facebook.com/CBMSC
 
Receba notícias do CBMSC pelo Twitter: twitter.com/C_B_M_S_C
 
Acompanhe o Comandante-Geral no Twitter: twitter.com/comandocbmsc
 
 
Créditos: CCS do Cmdo-Geral/Soldado BM Felipe Rosa

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

CURSO DE MULTIPLICADOR BREC - BUSCA E RESGATE EM ESTRUTURAS COLAPSADAS BM-RS / SESGE

CURSO DE MULTIPLICADOR BREC - BUSCA E RESGATE EM ESTRUTURAS COLAPSADAS
DE 07 A 25 DE OUTUBRO DE 2013


ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL
SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA
BRIGADA MILITAR
DEPARTAMENTO DE ENSINO

CURSOS DE MULTIPLICADOR
 Convênio SESGE nº 777065/2012

Busca e Resgate em Estruturas Colapsadas - BREC:

COORDENADOR:
Maj Fábio

INSTRUTORES:
Ten Cel KRUKOSKI
Maj RODRIGO
Maj ROMEU
Cap ANTUNES
Cap ESTEVAM
1º Sgt PITHAN

INSTRUTOR E DIRIGENTE DE TRABALHOS:
Cap ANTUNES

LOCAL DE REALIZAÇÃO DO CURSO:
EsBo - Escola de Bombeiros, Porto Alegre
EsFES - Escola de Formação e Especialização de Soldados,
Montenegro

VÍDEO:


CONCLUDENTES DO CURSO:
Antônio Mário dos Santos Lopes 1º Sgt QPM2 1º CRB
Claudio Pacheco                    1º Sgt QPM2 1º CRB
Sérgio Leal de Freitas                    1º Sgt QPM2              1º CRB
Vagner Silveira da Silva  2º Sgt QPM2 1º CRB
Iber Augusto Lesina Giordano Cap QOEM 2º CRB
Jorge Alex da Silva Rodrigues 1º Sgt QPM2 2º CRB
Reniéri Fanti das Bichas   1º Sgt QPM2 3º CRB
Edison Fernando da Silna Nunes      1º Sgt QPM2 3º CRB
Sérgio Luis Vasconcellos Bandeira   1º Sgt QPM2 3º CRB
José Carlos Sallet de Almeida e Silva  Cap QOEM 4º CRB
Igor Gomes Marchionatti          2º Sgt QPM2 8º CRB
Paulo César Sulzbach         1º Ten QTPM 8º CRB
Jairo Silva da Silva                           3º Sgt QPM2 8º CRB
Carlos Edinan Bitencourt Oliveira         3º Sgt QPM2 9º CRB
Fabiano Tarnowski Maciel         1º Sgt QPM2 11º CRB
Tiago Rodrigues                          2º Sgt QPM2 11º CRB
Alan Fernandes Marques                      2º Sgt QPM2          GBS
João Francisco Kettermann Teixeira    2º Sgt QPM2 1º CRB
Ana Flavia de Castro Schwingel        Inspetora PC/DHPP
Gustavo Carlos Gonçalves        Inspetor PC/DP Caçapava
Fernando Ferreira Ipar                        Perito IGP/Porto Alegre

sábado, 26 de outubro de 2013

CONCURSO - Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina

O Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC) lançou nesta última segunda-feira (21/10) o edital de concurso público com 153 vagas para admissão no Curso de Formação de Soldados (CFSd).
 
A remuneração inicia a partir do primeiro mês do CFSd no valor bruto de R$ 2,2 mil e pode chegar a R$ 3,3 mil após a formação.
 
São 143 vagas para o sexo masculino e 10 para o sexo feminino, além da formação de cadastro de reserva (CR) para os aprovados em todas as etapas do concurso fora das vagas de convocação imediata.
 
O CFSd é a formação de ingresso na Carreira de Praças do CBMSC que prepara seus participantes para exercerem funções de “execução” nas unidades Bombeiro Militar, entre elas as de combatente de incêndio, socorrista, resgatista, motorista e guarda-vidas, entre outras competências previstas no Artigo 108 da Constituição Estadual.
 
Para participar, os candidatos devem ter nível superior em qualquer área reconhecido pelo MEC, idade mínima de 18 anos no ato da matrícula no CFSd e máxima de 30 anos no ato da inscrição no concurso, altura mínima de 1,65m para candidatos do sexo masculino e 1,60m para candidatos do sexo feminino, além de carteira de habilitação.
 
O processo seletivo é composto de prova teórica, exame de avaliação de saúde, exame de avaliação física, exame de avaliação psicológica, investigação social e a entrega de documentos e exame toxicológico. Para fins de classificação final, o candidato deve ter sido considerado apto e aprovado em todas as fases do certame que terá dois anos de validade, podendo ser prorrogado por igual período.
 
O curso terá duração aproximada de nove meses e será oferecido no Centro de Ensino Bombeiro Militar (CEBM) em Florianópolis, além dos quartéis-sede dos Batalhões de Bombeiros Militar sediados nas cidades de Curitibanos (2ºBBM), Blumenau (3ºBBM), Lages (5ºBBM), Chapecó (6ºBBM) e Itajaí (7ºBBM). A escolha do local obedecerá o número de vagas e a ordem de classificação no concurso. 
 
As inscrições devem ser realizadas exclusivamente por meio do site www.msconcursos.com.br até o dia 10 de novembro de 2013. A taxa custa R$ 100. As provas objetivas e de redação serão realizadas no dia 8 de dezembro de 2013 nas cidades de Blumenau, Canoinhas, Chapecó, Florianópolis, Joinville e Lages.
 
 
› FONTE: Governo do Estado de SC

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

BOMBEIROS GAÚCHOS RECEBERÃO 28 AMBULÂNCIAS ATÉ 2014 PARA ATENDER RODOVIAS PEDAGIADAS PELA EGR

Acordo entre EGR e Ministério Público deve garantir manutenção de estradas e serviços de guincho e ambulância

 

Acerto poderá reverter decisão que suspendeu cobrança em Encantado e pôr fim a ações judiciais

 A EGR deve assinar convênio e lançar licitação para a compra de 28 ambulâncias, ao custo de R$ 5,2 milhões. Elas serão repassadas aos bombeiros, que atenderão as ocorrências.

Assista o vídeo: http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/videos/t/todos-os-videos/v/estradas-estaduais-administradas-pela-egr-passam-a-ser-atendidas-por-guinchos-do-detran/2903303/


Quando adquirir os veículos, a EGR deverá ultrapassar o número de 26 ambulâncias que eram oferecidas pelas concessionárias. A diferença é que os bombeiros terão de atender não só as rodovias, mas outros chamados.
Socorro médico

Como deve funcionar o serviço? A EGR assinará, na próxima semana, um convênio com o Corpo de Bombeiros. Serão destacadas 28 unidades da corporação para fazer o socorro nas estradas. A empresa não informou as cidades em que estão localizados os quartéis responsáveis pelo socorro.

Haverá custo para o motorista Não. O custo já está embutido na tarifa de pedágio de R$ 5,20.

Quantas ambulâncias existirão? Pelo convênio, a EGR irá lançar licitação nos próximos dias para comprar 28 ambulâncias. Elas serão divididas entre as 28 unidades dos bombeiros que irão atender aos chamados. Três ambulâncias herdadas das antigas concessionárias serão deixadas na reserva. Cada uma das 28 unidades dos bombeiros receberá R$ 680 mil mensais da ERG, a título de compensação pelo serviço prestado.

Como será feita a chamada de socorro médico? O usuário terá de discar 198, número do Comando Rodoviário da Brigada Militar, que acionará o socorro. O Samu não atenderá essas ocorrências. Como o convênio entre EGR e bombeiros ainda não foi assinado, não há previsão de início desse serviço.

Caminhão suspenso em ponte. >> Bombeiros salvam vítima presa em ferragens.

Após acidente, cabine de caminhão fica suspensa em ponte no RS

Bombeiros trabalham na retirada do motorista
(Foto: Angelo Batecini/Divulgação)
 

Veículo colidiu contra um ônibus nesta segunda-feira no km 95 da BR-116.
Trecho foi liberado depois de quase dez horas de interrupção.


Um caminhão com placas de Lages, em Santa Catarina, colidiu contra um ônibus na manhã desta segunda-feira (21) e bloqueou o trânsito no km 95 BR-116 em São Marcos, na Serra do Rio Grande do Sul. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o trecho foi totalmente liberado por volta das 18h, após quase dez horas de interrupção.
Cabine do caminhão ficou suspensa em ponte
da BR-116, no RS (Foto: Angelo Batecini/Divulgação)

O motorista do caminhão ficou ferido e foi retirado das ferragens uma hora depois do acidente. Segundo a PRF, ele teria perdido o controle do veículo e atingido a lateral da ponte.
A cabine ficou suspensa a cerca de 15 metros de altura, sobre o Rio das Antas. Ninguém ficou ferido no ônibus que também se envolveu na colisão.

domingo, 13 de outubro de 2013

BIBLIOTECA SOBRASA - Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático

SOBRASA 
Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático

Primeira entidade nacional desta natureza fundada em toda a América do Sul e a única em salvamento aquático no Brasil que tem como principal função unificar todas os órgãos e instituições brasileiras que lidam com estas atividades.

 O conhecimento é o instrumento mais poderoso na arte de salvar! LINK: BIBLIOTECA SOBRASA

CONRATO:   sobrasa@sobrasa.org

VÍDEO SOBRE PREVENÇÃO EM AGUAS DOCES

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

TREINAMENTO BREC PARA EXÉRCITO - 50º BIS PREPARANDO-SE PARA HAITI






 
IMPERATRIZ – Oficiais do 3º Grupamento de Bombeiros Militar, sediado em Imperatriz, ministraram os curso de Atendimento Pré-Hospitalar (APH) e Busca e Resgate em Estruturas Colapsadas (BREC) para militares do 50º Batalhão de Infantaria de Selva (50 BIS). Os cursos duraram duas semanas e hoje (27) foi o simulado de avaliação.
Os cursos tiveram como objetivo qualificar os militares para atuarem em situações de busca e resgate, pois o 50 BIS irá enviar um grupo de militares para se unir aos que já se encontram no Haiti, onde as tropas da Organização das Nações Unidas (ONU) realiza patrulhamento e segurança.
Como o Haiti está localizado em uma área sujeita a terremotos, como o que aconteceu em janeiro de 2010, os militares podem se deparar com situações que será preciso o uso das técnicas de busca e resgate repassadas pelo Corpo de Bombeiros.

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

RELEMBRANDO: Eliminação do procedimento “Ver, ouvir e Sentir" - AHA 2010



Eliminação do procedimento “Ver, ouvir e sentir se há respiração” * conforme Diretrizes de 2010 da American Heart Association (AHA) para Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP) e Atendimento Cardiovascular de Emergência (ACE).

2010 (Nova): O procedimento "Ver, ouvir e sentir se há respiração” foi removido da sequência de RCP. Após a aplicação de 30 compressões, o socorrista que atuar sozinho deverá abrir a via aérea da vítima e aplicar duas ventilações.

2005 (Antiga): O procedimento "Ver, ouvir e sentir se há respiração” era usado para avaliar a respiração após a abertura da via aérea.

Motivo: Com a nova sequencia “compressões torácicas primeiro”, a RCP será executada se o adulto não estiver respondendo e nem respirando ou não respirando normalmente (como já mencionado, os socorristas leigos serão instruídos a aplicar a RCP se a vítima que não responde “não estiver respirando ou estiver apenas com gasping”). A sequência da RCP começa com compressões (sequencia C-A-B). Logo, a respiração e verificada rapidamente como parte da verificação quanto a PCR; após a primeira série de compressões torácicas, a via aérea e aberta e o socorrista aplica duas ventilações.
 
 
FONTE:
 
 

 

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Dispositivo da NASA é capaz de detectar o batimento cardíaco de uma pessoa presa sob escombros

    
 Em situações de desastres naturais, como os terramotos, as equipes de salvamento deparam-se geralmente com sérias dificuldades em identificar a presença de pessoas presas debaixo dos escombros mesmo com a utilização de cães de salvamento.
 
 
     Uma notícia do site Ubergizmo dá conta que a NASA veio em socorro das equipes de salvamento com um dispositivo capaz de detectar o batimento cardíaco de uma pessoa mesmo debaixo de vários metros de escombros.
Os protótipos do dispositivo, baptizado como FINDER (Finding Individuals for Disaster and Emergency Response), já foram utilizados em mais de 65 simulações de desastres naturais e sempre com resultados positivos.
 
fonte: PC GUIA

domingo, 15 de setembro de 2013

BREC - Desabamento de mina no Afeganistão mata 28

 
     O desabamento de uma mina de carvão na província de Samagan, norte do Afeganistão, deixou 28 mortos, informaram neste domingo autoridades locais, que deram por encerradas as buscas por sobreviventes.
 
     "Localizamos 24 corpos", disse à AFP o porta-voz do governo local, Mohamad Sediq Azizi, que explicou que os quatro mineiros ainda soterrados foram dados "como mortos".
 
     O acidente aconteceu na noite deste sábado numa mina de carvão do distrito de Ruyi Doab, na província de Samangan.
Após o acidente, o presidente afegão Hamid Karzai expressou sua "tristeza" e pediu para que seu governo "tome as medidas necessárias para evitar que novos acidentes como este tornem a acontecer", informou a presidência em comunicado.
 
     Devido à falta de investimentos, as minas de carvão do Afeganistão sofrem com a falta de equipamentos e má ventilação.
 
     O Afeganistão é um dos países mais pobres do mundo, embora um estudo norte-americano realizado em 2006 tenha mostrado que seu solo é rico em minerais, especialmente ferro e cobre, numa reserva cujo valor chegaria a milhões de dólares.
 
FONTE: R7

sábado, 14 de setembro de 2013

ONDE ESTÃO OS CÃES DO "11 DE SETEMBRO"? VEJA GALERIA.

Galeria mostra como estão cães que trabalharam no resgate de vítimas do "11 de setembro"

Fotógrafa Charlotte Dumas dedicou tempo para encontrar os animais aposentados ...

por Globo Rural On-Line

Mais de 300 CÃES ajudaram soldados americanos a localizar vítimas dos atentados de "11 de setembro". Na ocasião, quando as torres gêmeas do World Trade Center desabaram e o mundo voltou os olhos para Nova York, os bichos treinados entraram em ação para localizar mortos e feridos.

Doze anos mais tarde, muitos destes 'heróis de quatro patas' já não estão mais vivos.

Mas, com imenso esforço, a fotógrafa Charlotte Dumas dedicou parte de seu tempo de trabalho a localizar alguns destes bichinhos. Ela encontrou sete deles vivendo aposentadorias bastante tranquilas e não perdeu a oportunidade de fotografá-los e contar um pouco de suas histórias:


Moxie, 13 anos, vive em Massachusetts. Chegou ao local do World Trade Center em 11 de setembro e começou a trabalhar na manhã seguinte. Apesar de treinada para encontrar sobreviventes, identificou seis corpos de vítimas durante oito dias de trabalho em Nova York. Foi aposentada quando completou sete anos de vida.
 
_______________________
 
Orion, 13 anos, vive na Califórnia. Trabalhou no World Trade Center durante cinco dias após os ataques.
 
 
 
 
 
 
________________________
 
Guinness, 14 anos, vive na Califórnia. Trabalhou durante dez dias na região dos ataques. Também ajudou no resgate de vítimas do Furacão Katrina, em 2005. "Para ele, o trabalho era tão divertido quanto um jogo", disse seu dono.
 
 
 
_______________________
 
Red, 11 anos, vive em Maryland. Procurou vítimas na região do Pentágono por 11 dias. Está aposentado há dois anos. "Ele quer continuar trabalhando, mas seu corpo simplesmente não o acompanha mais", disse o dono do cão.
 
 
_______________________
 
Bailey, 14 anos, vive no Tennessee. Trabalhou no Pentágono, em busca de vítimas. "Até hoje se eu disser 'vamos procurar', Bailey fica todo animado", afirmou o dono.
 
 
 
 
_______________________

Tara, 16 anos, vive em Massachusetts. Foi escalada para trabalhar no World Trade Center na madrugada após os atentados. Participou do resgate de vítimas de desastres naturais.



_______________________

Bretagne, de 12 anos, vive no Texas. Trabalhou no "marco zero" por 10 dias. Nos sete anos seguintes em que esteve trabalhando como cão de resgate, ajudou a localizar vítimas dos furacões Katrina e Rita.  





 
 
 


terça-feira, 10 de setembro de 2013

Bombeiros tentam resgatar 50 crianças presas por incêndio na Argentina



     Esquadrões de bombeiros continuam a tentar resgatar nesta segunda-feira um grupo de 50 meninos que, junto de seus pais e professores, estão presos desde ontem por causa de um incêndio no vale de Calamuchita, na província argentina de Córdoba.
 
     Bombeiros e policiais acompanham as crianças, que fazem parte de um grupo de artes marciais, enquanto esperam as condições climáticas para poder retirá-los do local.
 
     Os pequenos desportistas e seus acompanhantes tinham ido passear na região quando uma mudança no sentido do vento reavivou o fogo, que desde sexta-feira castiga a região, e os obrigou a permanecer na noite de domingo abrigados em um posto da montanha.
 
      Inicialmente o delegado Ricardo Torres tinha dito a Agência Efe que na manhã de hoje os meninos tinham sido resgatados e transferidos a um albergue.
 
     Marcelo Zornada, titular do Plano Provincial de Manejo do Fogo, desmentiu a declaração, e confirmou que o grupo ainda está preso, mas "bem, com assistência e alimentos".
 
     "Uma equipe do exército foi até o local onde estão presos por via aérea e outra por terra", tranquilizou Fabián Vargas, coordenador de um esquadrão regional dos bombeiros, mas "como um das frentes está próxima, vai permanecer ali até que possa retirá-los".
 
     "As condições meteorológicas não favorecem porque além do calor as rajadas de vento superam os 50 quilômetros por hora", explicou Gastón Parodi, presidente da comissão de bombeiros da cidade de Yacanto, que fica na área afetada. Em algumas regiões de Córdoba ultrapassam 38,1°C.
Até o momento, um homem é acusado de ser autor de "incêndio culposo agravado", enquanto outros quatro foram detidos e depois libertados por ter iniciado por conta própria um "contrafogo" com a intenção de neutralizar o incêndio.
 
     Aparentemente, o acusado manejava máquinas em péssimo estado e uma faísca de trator, que vazava óleo, teria originado o fogo que ficou incontrolável desde sexta passada.
 
      Segundo a imprensa local, 15 mil hectares de florestas e pastagens foram atingidos pelo incêndio, ainda não controlado pelos bombeiros, que qualificaram o acidente de o "pior que se lembra".
 
fonte: TERRA

domingo, 1 de setembro de 2013

Video sobre o lançamento do livro "RESGATE VERTICAL"




Autor: Cap.Eduardo José Slomp Aguiar
Preço
Venda casada (livro + livreto), valor R$45,00.
Venda individual do livro, valor R$35,00
É vedado a venda do livreto individual
 
O conteúdo deste livro apresenta aos leitores, particularmente aos policiais, bombeiros fonte inedita para a disciplina curricular resgate vertical.
Sua utilidade vai muito além das atividades próprias de bombeiros, suas teorias e equipamentos sugeridos integra o trabalho de várias outras profissões.
Como comprar
As obras podem ser adquiridas pessoalmente nos pontos de venda, por encomenda ao Departamento
Cultural pelo telefone (41) 3075-8224 ou pelo link Entre em Contato. Neste caso mediante pagamento do valor do livro e da postagem, após resposta do departamento.
Contato
E-mail:cultural@avmpmpr.org.br
 


fonte: AVMPMPR

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Curso de busca e resgate com cães em MAGÉ - RJ

 
 
O 2° Grupamento de Socorro Florestal e Meio Ambiente (2° GSFMA), em Magé, iniciou este mês o curso de busca, resgate e salvamento com cães farejadores para um grupo de 11 bombeiros, sendo dois representantes da Paraíba.
Com três meses de duração, o treinamento oferece aulas de noções de veterinária, adestramento, métodos de utilização de cordas e outros equipamentos, atendimento médico, além de técnicas de salvamento em altura. A seleção dos alunos contou com teste físico e uma avaliação que analisa a afinidade com os animais. Cerca de 20 professores são responsáveis pela capacitação. Esta é a sexta turma a realizar o curso, que acontece anualmente.
 
- O Corpo de Bombeiros necessita de pessoas qualificadas para lidar com cães em situações de emergência, como casos de desabamento, soterramento ou desastres naturais. Por seu faro apurado, o cachorro localiza vítimas com muito mais eficiência e rapidez. É uma ferramenta indispensável no trabalho de salvar vidas - afirmou o comandante do 2° GSFMA, tenente-coronel Alonso Júnior.
 
Especialista no treinamento de cães para rastreamento e resgate de vítimas, a unidade de Magé conta atualmente com seis animais em serviço. Com experiência no ofício, o plantel já auxiliou na localização de vítimas dos temporais da Região Serrana e três cães chegaram a ser enviados para o Haiti, em 2010, após o terremoto que atingiu o país.
Integrante do Corpo de Bombeiros da Paraíba, o major Almir Peixoto da Silva decidiu fazer o treinamento para implantar um canil na corporação nordestina.
 
- Viemos aprender com o 2° GSFMA, que é referência no assunto. No mês que vem traremos dois cães para receber os primeiros treinamentos. A ideia é criar um canil no Corpo de Bombeiros da Paraíba. Seremos agentes multiplicadores de conhecimento neste processo - disse o major.
 
Fonte: DD Online

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

VÍDEO: RESGATE AÉREO no Pico da Cascavel em SP - 26/08/2013

 
            Um vídeo divulgado pelo Corpo de Bombeiros registrou o resgate do casal que ficou ferido após cair de parapente, em uma mata fechada, no Pico da Cascavel, em Socorro (SP), no domingo (25). As imagens mostram o momento em que o helicóptero Águia da Polícia Militar chegou para atender o instrutor que sofreu uma fratura exposta na perna. O rapaz foi levado para o Hospital São Francisco de Bragança Paulista e o estado de saúde é estável.
             Já o resgate da mulher, foi feito antes da chegada do helicóptero, com a ajuda dos moradores da região de forma voluntária. "Ela estava muito assustada porque estava conhecendo o esporte e infelizmente aconteceu esse problema. Mas a todo o tempo ela estava consciente do que aconteceu", disse o sargento da Polícia Militar Marcos Boiago. A vítima é moradora de São Paulo (SP), foi submetida a uma cirurgia na Santa Casa de Socorro e deve ser transferida ainda nesta segunda-feira (26) para a capital.
 
         Acidente
             Segundo a Polícia Militar, a dupla caiu em uma mata fechada logo após realizar o salto. Eles precisaram esperar por quase três horas para serem resgatados porque o socorro  teve dificuldades para acessar o local da queda.
 
             A polícia foi acionada por volta das 12h20 por outros praticantes do esporte que também estavam no local e assistiram ao acidente.

             O instrutor, segundo o sargento Marcio Boiago, do grupamento aéreo da PM, sentia muitas dores no joelho e tornozelo e, por isso, não pode contar em detalhes como a queda ocorreu. "Era muita dor, então ele não podia explicar muito. Mas parece que ele entrou em em uma corrente de ar quente e perdeu o controle e acabou girando, batendo num local de pedregulho. Então, foi um pouso complicado", explicou.
 
Confira o vídeo:

fonte GI

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

SIMULADO - PROCEDIMENTOS COM ACIDENTE ENVOLVENDO PRODUTOS PERIGOSOS EM GRAVATAÍ RS

    

       
 Esta já é a segunda simulação feita em uma rodovia gaúcha. A primeira ocorreu na RS 118 em maio deste ano. “A coordenação estadual de grandes eventos pretende fazer outras simulações até junho do próximo ano quando acontece a copa. Além das rodovias, também serão simuladas situações de risco em hotéis, órgãos públicos e áreas urbanas”, explica Alessandro Castro, assessor de comunicação da Polícia Rodoviária Federal.


Atividade reuniu diversas entidades públicas e privadas no km 65 da rodovia

A simulação de um acidente na Freeway, próximo a fábrica da GM, em Gravataí, bloqueou parcialmente a via no sentido Litoral-Capital por cerca de 1h30min. Participaram da atividade entidades públicas e privadas, simulando um acidente com cargas perigosas, com a finalidade de preparar as equipes de trabalho em situações de emergência para a Copa do Mundo de 2014.

Participaram do simulado a Concepa, concessionária que administra a freeway, Defesa Civil estadual, Defesa Civil de Gravataí, Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), Polícia Rodoviária Federal, Patrulha Ambiental, Corpo de Bombeiros, Ibama, Braskem, Fiergs, Crea/RS e UFRGS.

A medida atende uma lógica real de atendimento na estrada a partir do Plano de Ação e Emergência, desenvolvido pela Concepa. No twitter, os agentes envolvidos informaram a população com mensagens relacionadas à ação.

FONTE: ZH

quarta-feira, 31 de julho de 2013

FOTOS - OPERAÇÕES COM ESCADAS - BOMBEIRO

 Fotos de diversas manobras com escada simples, prolongáveis e de gancho, algumas delas poderão ser diferentes as técnicas que você conhece.
 
           Por isso pincei várias para que sua memória fotográfica grave para mais adiante utilize a técnica em treinamentos e posteriormente em operações.
 
SALVAR, SALVAR, SEMPRE SALVAR!!!!
1º Sgt Alex - Bombeiro Gaúchowww.alexmaragato.bolgspot.com


sábado, 27 de julho de 2013

CONHEÇA OS TIPOS DE DESFIBRILAÇÃO


Enraizado na cultura popular devido ao cinema e às séries médicas da televisão, este procedimento médico já pode ser feito por leigos com um treinamento básico. Conheça os tipos de desfibrilador.


O que é?

Consiste em emitir uma carga de energia elétrica para o coração do paciente por meio de um aparelho chamado desfibrilador. Essa medida de emergência visa reanimar indivíduos acometidos por arritmias (distúrbios no ritmo dos batimentos) que originam uma parada cardíaca, como fibrilação ventricular e taquicardia ventricular sem pulso.

Texto: Diego Pontes / Foto: Reprodução / Adaptação: Ana Paula Ferreira

 

O efeito do choque

A desfibrilação é semelhante ao ato de apertar o botão reset de um computador: o choque faz com que as células que estão caminhando de maneira desordenada voltem ao seu estado elétrico inicial. Dessa forma, o órgão volta a bombear sangue para as demais partes do corpo.

Cuidados especiais

As pás do desfibrilador devem ser lubrificadas com um gel especial para facilitar a condução de eletricidade e para evitar queimaduras no tórax do paciente. O médico também deve manter distância de outras pessoas na hora de fazer a desfibrilação, pois a carga do próprio aparelho pode gerar uma fibrilação ventricular.

Como é feito o procedimento?

O médico pressiona as placas no tórax do paciente de modo a formar uma linha que cruza o coração: a pá que se encontra na mão direita fica na parte lateral inferior esquerda do tórax, enquanto que a pá esquerda é situada na porção superior. Este cuidado é necessário para que a eletricidade atinja todo o órgão vital. Na sequência, o choque é aplicado: a voltagem é regulada conforme o peso e tamanho da vítima (normalmente, a potência empregada varia entre 100 e 300 joules). Ao contrário do que é mostrado nos filmes, o paciente não pula quando reanimado, mas apresenta uma contração muscular no peitoral. Caso a fibrilação seja corrigida, o médico avalia se o indivíduo está consciente e se precisa de fornecimento de oxigênio. Se a desfibrilação não funcionar, a equipe de emergência deve providenciar uma massagem cardíaca para fazer com que o sangue continue a ser bombeado para o cérebro enquanto o próximo choque é preparado.
de desfibrilador

Desfibrilador externo manual: Disponível em hospitais, prontos-socorros e UTIs, o aparelho só pode ser utilizado por médicos e enfermeiros treinados. Conforme sua análise do quadro do paciente, o operador decide a intensidade do choque que será aplicado.

Cardiodesfibrilador implatável (CDI): É acoplado junto a um marca-passo abaixo da pele. Caso o paciente tenha uma arritmia, ele a identifica e emite um pulso elétrico para corrigi-la. Custa, em média, R$ 60 mil e tem uma vida útil de 5 a 6 anos, pois perde energia a cada choque. O Sistema Único de Saúde (SUS) já oferece este serviço.

Desfibrilador externo automático (DEA): Usado somente para reverter a fibrilação ventricular, pode ser operado por leigos com treinamento. Após serem coladas no tórax, as placas detectam se o choque é necessário ou não. Em caso positivo, disparam a descarga elétrica automaticamente. Encontrado em estações de metrô, estádios e outros lugares públicos. 


FONTE: Revista VIVA SAÚDE edição 116

terça-feira, 23 de julho de 2013

ÔNIBUS DE RESGATE para DEFESA CIVIL


     Num dia “normal” o ÔNIBUS DE RESGATE para DEFESA CIVIL da região, efetua uma linha de transporte normal dentro de um município da Alemanha, mas quando solicitado ele dirige-se ao local da catástrofe ou grandes sinistros para apoiar na remoção de pessoas, com auxílio de equipes já treinadas para apoiar nestas tarefas.
        Mas o melhor é que não teve custos, se você observar na imagem, ele está repleto de banners de patrocinadores. Sem entraves e burocracias foi otimizado os atendimentos. Só podia ser na Alemanha.  
 Foto: Jörg Büdenbender

       No mês passado, com os seus novos Rettungsbus (Ônibus de resgate) iniciou-se um projeto-piloto na Alemanha. Em cooperação com as organizações comunitárias na região Siegen-Wittgenstein (do tipo Orçamento Participativo), um veículo foi fornecido, que passará a ser usado para a defesa civil. "Com os Rettungsbus criaram uma oportunidade perfeita para evacuar em caso de emergência, muitas pessoas tão como acomodar pessoas feridas", disse o gerente de VWS Gerhard Bettermann. O veículo é o de serviços regulares em uso - e pode ser solicitado a qualquer momento, bombeiros e serviços de emergência em caso de emergência.


     O novo veículo especial, são conduzidos por motoristas especialmente treinados, que foram treinados para o pior", como gerente VWS Klaus-Dieter Wern, que iniciou o projeto. Um total de 130 foram qualificadas para compor as equipes. Ele possui ar condicionado, aquecedor e muitos outros recursos que servem ao propósito de veículo de emergência, especificamente. Isso inclui um sistema de sinal especial com luzes e sirenes intermitentes e uma pintura modelada em um design exterior reflexivo.Com todos os seus extras, o Rettungsbus já foi aprovado pelas autoridades.
     Através da venda de serviços de transporte para a família GmbH Wern Westfalen-Süd, já solidificada na área de transporte público.  O aumento dos incidentes em tempos passados, como as bombas encontradas em Dortmund, um incêndio no Weidenau hospital ou acidentes de trânsito envolvendo ônibus na autoestrada 45, motivou as ações construtivas deste Ônibus de Resgate.
      Para a execução e implantação deste novo ônibus de resgate, que veio para os serviços de emergência locais, foi sem nenhum custo. Patrocinadores, que são chamados pela publicidade no veículo, contribuir para os custos.